"" A Saúde Perfeita De Suas Orquídeas: Maio 2017

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Conheça Algumas Dicas Importantes Para Cuidar de Suas Orquídeas

Vou citar os principais pontos de que você deve saber para aprender como cuidar de orquídeas na sua casa.


1º – Escolha o tipo certo de orquídea.

Há muitos tipos diferentes de orquídeas e a sua escolha vai depender do tipo de ambiente que pode oferecer à planta.

2º – Escolha o vaso certo.

O mais comum é o vaso de terracota (em argila ou plástico).

3º – Use o substrato adequado.

As raízes de orquídeas precisam de mais espaço aéreo do que a terra fornece, então os substratos para orquídeas tendem a não ter terra.

4º – Uma mistura fina é melhor para orquídeas menores e para as que têm raízes pequenas, que precisam ficar na umidade.

Faça uma mistura fina com 4 partes de casca de pinheiro, ou lascas de casca de coco, ou casca de pau-brasil, uma fina camada de carvão, uma camada da perlite de horticultura ou um pouco de terra preparada com materiais orgânicos para vasos.



5º – Tenha uma fonte de luz correta.

As orquídeas precisam de muita luz e, dependendo do tipo da flor, será preciso ter luz indireta ou luz plena.

6º – Mantenha a temperatura correta.

Descubra se sua orquídea é uma “orquídea fresca” ou uma “orquídea quente”. Os dois tipos preferem temperaturas um pouco diferentes.

A cada dia que passa centenas de pessoas tem entrado para um grupo de aficionados por orquídeas, que são chamados de orquidófilos, isso tem ocorrido pelo fato dessas flores maravilhosas estão se tornando muito populares no Brasil, mas com certeza há ainda muitas dúvidas de como cuidar de orquídeas em casa, de maneira correta e sem causar danos a sua planta.

Se você quer aprender definitivamente a cuidar de suas flores, acesse agora mesmo: http://saibacomocuidardeorquideas.com/

Existe um tabu que diz que cuidar de orquídeas é muito difícil ou que é necessário investir muito tempo e dinheiro. Isso com certeza é um mito, pois hoje em dia há espécies de orquídeas muito resistentes, de baixo custo e que com cuidados básicos ficam lindas e duráveis.





Temos hoje no Brasil diversas opções de orquídeas que podem ser cultivadas artesanalmente e com variadas maneiras de planta-las, por isso o primeiro passo de como plantar orquídeas é escolher a sua espécie favorita, que se encaixe com o ambiente e características de sua residência. Veja abaixo nossas dicas de como cuidar de orquídeas artesanalmente:


fonte: http://comocuidardeorquideas.info/

As Principais Vantagens De Ter Orquídeas

O Blog convidou a amiga queridíssima Cristina Setembrino, que junto com o marido e grande advogado Fernando, têm um dos mais premiados orquidários do estado do RJ, para do alto de sua experiência no cuidado com a sofisticada flor nos contar, em capítulos, pequenos detalhes que vão fazer a diferença na criação e preservação das mesmas. Frequento sua casa, semanalmente, por conta de uma maravilhosa aula de história: não foram poucas as vezes que me maravilhei com um exemplar de sua coleção! Começemos, então, com os cuidados com as “Phalaenopsis”! BN

“A orquídea que você comprou para enfeitar sua casa ou que você ganhou de presente, enquanto estiver com flor você sabe que basta ir regando, sem encharcá-la, deixando a água escorrer , sempre que o substrato estiver seco, e ela ficará perfeita.



Mas, e quando as flores estiverem murchas?  O que fazer? Ela não precisa virar lixo! Elas irão crescer, florir e ficar lindas de novo na sua casa, cuidadas por você e, o mais importante, sem te dar trabalho

Basta você ter uma varanda, uma área, um cantinho qualquer, ou seja, um local claro, arejado, que não seja muito quente e que o sol não bata diretamente na planta, para não queimar suas folhas.

Algumas dicas:

As Phalaenopsis gostam de certa umidade, mas detestam excesso de água, daí a drenagem do vaso deve ser muito boa para que após a rega o excesso de água escoe totalmente. Pode-se regar com mangueira, regador, direto na torneira de uma pia, sempre evitando que fique água empoçada na coroa da planta. Deve-se molhar o substrato por inteiro. Em outras palavras: quando molhar, molhe mesmo. Jamais use pratos por baixo do vaso.

Os vasos transparentes facilitam a verificação do grau de secagem. Nos demais vasos, a colocação do seu dedo indicador, no substrato, também é forma de checagem: Na dúvida, deixe para regar no dia seguinte!



Importante: Não encoste o dedo nas pontas das raízes, pois isso abortará seu crescimento.

As Phalaenopsis têm raízes que ficam dentro do vaso e raízes aéreas, que não devem ser cortadas, nem forçadas em direção ao interior do vaso. Deixe-as à vontade. Quando quebram elas rebrotam em bifurcações, como rabo cortado de lagartixa.

A circulação do ar é vital, quer para a secagem do substrato, quer para a respiração das folhas.

4 horas de boa claridade são suficientes, ao contrário das Cattleyas que necessitam de mais tempo. A cor das folhas é um indicativo da adequada iluminação. Se verde oliva médio, tudo OK. Se amarelas, estão recebendo muita claridade. Se verde escuro, pouca claridade.

Não se esqueçam que elas têm que comer: Em casa é melhor usar adubos químicos, pois não deixam cheiro. Todos são muitos parecidos. Escolha qualquer um dos indicados para orquídeas e adube uma vez por mês, usando a dosagem indicada pelo fabricante na própria embalagem. De 2 em 2 meses use um inseticida, de preferência natural, à base de “citronella” por exemplo, para combater ácaros, pulgões, cochonilhas, etc.

Elas certamente vão florir 2 vezes por ano e suas flores costumam durar em média 90 dias.

Aqui em casa tem uma, linda, que está com 16 flores grandes há mais de 120 dias!!!”
Cristina Setembrino

fonte: http://www.40forever.com.br/dicas-de-como-cuidar-de-sua-phalaenopsis-por-cristina-setembrino/


Como Cuidar De Forma Correta De Suas Orquídeas

Orquídeas são lindas flores tropicais que dão um ar exótico a qualquer ambiente interior. Devido as suas condições nativas, elas precisam de alguns cuidados a mais para garantir que não sobrevivam apenas, mas também se desenvolvam. Uma orquídea dentro de casa precisa receber uma grande quantidade de luz indireta e o ar do ambiente deve ser quente e úmido o tempo todo.

Escolha o tipo certo de orquídea. Há muitos tipos diferentes de orquídeas e a sua escolha vai depender do tipo de ambiente que pode oferecer à planta. Fatores como a temperatura de sua casa, a quantidade de luz do ambiente e quanta atenção pode dar à planta vão determinar qual é a orquídea mais adequada para o seu caso.

O tipo mais fácil de se cultivar dentro de casa é a orquídea Phalaenopsis, ou orquídea mariposa. Ela dura meses e se desenvolve melhor com a adição de mistura de cascas de árvore, em temperaturas quentes e com uma quantidade pequena ou média luz. É uma boa opção para principiantes, pois tolera bem os erros nos cuidados.

Se tende a regar demais suas flores, então pode querer uma orquídea “sapatinho” (tais como a Pafiopédilo ou a Phragmipedium). Por outro lado, se tende a ignorá-las, as melhores escolhas são as Cattleya, Oncidium ou Dendrobium.

Se não tiver muita luz em sua casa, a Pafiopédilo é a escolha certa. Para os que tiverem apenas uma janela com parapeito pequeno, as mini-cattleyas (Pleurothallis) ou uma orquídea mariposa (Phalaenopsis) em miniatura são as melhores escolhas.Aprenda a cuidar de suas orquídeas, saiba mais.

Escolha o vaso certo. O mais comum é o vaso de terracota (em argila ou plástico). Há muitos tipos diferentes à sua escolha. Algumas considerações: se costumar regar muito, use um vaso de argila um substrato áspero, se tende a deixar suas orquídeas secas, coloque-as em um vaso de plástico, com um substrato mais fino.





Vasos de plástico claros permitem que a luz alcance as raízes e que você fique de olho no seu crescimento. Eles podem ser bons, se você não tiver muito tempo.
Vasos com um saco de juta em seu interior ou com furos no fundo permitem uma ótima drenagem e circulação de ar, o que é bom se houver muita rega.

Cestos costumam ser feitos com uma madeira mais resistente ao apodrecimento, como a teca. Se usar um, então será preciso colocar uma camada de musgo e, em seguida, o substrato

Use o substrato adequado. As raízes de orquídeas precisam de mais espaço aéreo do que a terra fornece, então os substratos para orquídeas tendem a não ter terra. Eles podem ser feitos a partir de diversas coisas, como cascas de pinheiros, casca de coqueiros, musgo esfagno, xaxim e perlite, e são, frequentemente, uma mistura de dois ou três destes materiais.

Uma mistura fina é melhor para orquídeas menores e para as que têm raízes pequenas, que precisam ficar na umidade, como orquídeas Sapatinhos, a maioria das oncidiums e miltonias. Faça uma mistura fina com 4 partes de casca de pinheiro, ou lascas de casca de coco, ou casca de pau-brasil, uma fina camada de carvão, uma camada da perlite de horticultura ou um pouco de terra preparada com materiais orgânicos para vasos.

A mistura de substratos é boa quando não se tem certeza de qual se deve usar. É particularmente boa para cattleyas, phalaenopsis e orquídeas e mais velhas. Faça uma mistura de quatro partes de casca de pinheiro ou pedaços de casca de coco, uma parte de carvão, e uma parte da perlite para horticultura ou terra preparada com materiais orgânicos para vasos.



Se não quiser fazer a sua própria mistura, poderá encontrar boas misturas para orquídea em grande parte das lojas especializadas do ramo. Há diversas misturas que se destinam a uma gama ampla de orquídeas.

Tenha uma fonte de luz correta. As orquídeas precisam de muita luz e, dependendo do tipo da flor, será preciso ter luz indireta ou luz plena. Escolha uma janela voltada para a luz solar direta que seja parcialmente filtrada (através de cortinas finas ou transparentes).

Fique de olho na sua orquídea para saber se ela necessita de mais ou menos luz. Isso vai determinar se é preciso usar cortinas ou não.

Use luzes fluorescentes para complementar a luz natural. Jardineiros descobriram que lâmpadas fluorescentes normais podem cumprir bem este papel. A luz que entra pela janela pode não ser suficiente, principalmente nos dias nublados ou se colocar a orquídea perto de uma janela que receba pouca luz solar. Invista em um par de lâmpadas fluorescentes de 20 watts ou em outra iluminação semelhante que possa simular as condições ideais.


fonte: http://pt.wikihow.com/Cuidar-de-uma-Orqu%C3%ADdea-Dentro-de-Casa

Dicas de Como Cuidar De Orquídeas Em Apartamentos.

Muitos se perguntam quais são as principais diferenças entre cuidar de orquídeas em casa ou em apartamento. Na realidade, cultivar orquídeas em ambientes domésticos, geralmente fechados, com pouca umidade, muito vento e luz limitada, é bastante desafiador. Casas com quintais, por outro lado, oferecem melhores opções de cultivo para as orquídeas, com condições ambientais mais próximas às naturais.

Este artigo apresenta algumas soluções para os problemas típicos de quem pretende cuidar de orquídeas em apartamento ou em interiores de modo geral.

O cultivo de orquídeas em apartamento tem se tornado cada vez mais comum nos centros urbanos, por uma série de diferentes razões relacionadas a espaço e segurança. Sob estas condições não naturais, itens corriqueiros como luz e umidade, essenciais às orquídeas, tornam-se artigos de luxo.

Nos tópicos a seguir, vamos discutir sobre as principais dificuldades de se manter orquídeas saudáveis em apartamento e sugerir meios de contorná-las. Apenas enfatizando que estas dicas também são válidas para quem deseja saber como cuidar de orquídeas no interior de casas ou escritórios.

1. Como cuidar de orquídeas em andares altos


Quando se pensa em orquídeas no apartamento, este é um fator pouco lembrado. As condições de cultivo são muito mais amigáveis nos andares mais baixos. À medida que subimos, a intensidade do vento aumenta consideravelmente. A incidência de luz solar também tende a ser maior, devido à ausência das copas das árvores. Estes fatores fazem com que, nos andares mais altos, tenhamos que redobrar os cuidados com a desidratação das orquídeas, que ocorre em maior grau quando estas são submetidas a ventos constantes e sol intenso.



O planejamento da disposição das orquídeas, na varanda ou janela, pode ajudar a contornar estes problemas. Aquelas mais resistentes, que podem receber mais luminosidade e ventilação, ficam na primeira fila. As mais frágeis vão atrás, protegidas pelo pelotão de frente.

Ainda não sabe como cuidar corretamente de suas orquídeas? Clique aqui.

2. Como manter as orquídeas bem ventiladas


Confesso que tenho um verdadeiro horror a vento, principalmente no frio. Quando cultivava orquídeas dentro do quarto, sentia uma grande dificuldade em manter a janela aberta, durante o inverno. Como resultado desta fobia, tive vários problemas com pragas, das mais diversas e desagradáveis espécies.



Se por um lado a ventilação é importante para o cultivo saudável das orquídeas, por outro o excesso de vento é prejudicial. Em apartamentos, principalmente nos andares mais altos, torna-se importante fazer um ajuste fino desta variável. Neste sentido, o abrir e fechar das janelas ao longo do dia auxilia no controle da ventilação ideal.

Nas varandas, anteparos como folhagens e telas de sombreamento ajudam a proteger orquídeas mais sensíveis de correntes de vento. Em casos mais delicados, como durante o período de floração, é sempre aconselhável trazê-las para um local mais protegido, dentro de casa. Após as flores murcharem, as orquídeas podem ser colocadas de volta ao ambiente de cultivo.

fonte: http://www.orquideasnoape.com.br/2013/11/como-cuidar-de-orquideas-em-apartamento.html

Aprenda Tudo Neste Post Sobre as phalaenopsis

Descrição:
A Phalaenopsis é a orquídea melhor conhecida em Portugal, por ser barata e fácil de encontrar em floristas, viveiros e cada vez mais em supermercados. Conhecida como a orquídea da traça pelo formato da flor quando está aberta, a Phalaenopsis é talvez a melhor espécie de orquídea para se ter em casa, por ser muito fácil de cuidar e por florir com abundância, por vezes por mais de uma vez num ano, podendo cada floração durar até 3 meses. Para além disso, as flores são extremamente atraentes, têm cores variadas e possuem um aspeto delicado, sendo por isso muito decorativas.

Muitas pessoas ainda não sabem como cuidar de orquídeas, porem esse é um problema que da para resolver sim.



Origem:
Originária de países da Ásia (Filipinas, Indonésia, Malásia, Sumatra, China e Taiwan), encontra o seu habitat natural nas florestas tropicais, em troncos de árvores onde se agarra através das raízes (é epífita), protegendo-se do sol forte e da luminosidade excessiva e beneficiando da humidade própria do ambiente, absolutamente necessária para o seu desenvolvimento saudável. Se pretender plantar a sua orquídea num tronco de árvore, faça-o quando não tem flores e coloque-a no lado onde apanhar menos sol ou mesmo sol nenhum, e no inverno terá de ser protegida com uma "tenda" têxtil para que não apanhe frio em excesso.

Cultura:
A temperatura ambiente e as condições existentes dentro de casa são por regra suficientes para se poder cultivar uma Phalaenopsis sem problemas, embora seja particularmente importante respeitar o tipo de vaso que deve ser utilizado, a qualidade do meio onde é plantada, a luminosidade a que está sujeita e a quantidade e frequência das regas. O vaso pode ser de barro ou preferencialmente de plástico, para deixar a luz entrar nas raízes.



Muitas pessoas deitam fora as plantas quando têm apenas folhas, logo após as flores secarem e caírem. As Phalaenopsis duram uma eternidade dentro de casa. Nas plantas mais saudáveis é possível obter novas hastes com flores após a primeira floração, cortando dois centímetros acima do terceiro nó, contado a partir do pé da haste. Na altura própria, em geral um ano depois, irá surgir uma nova haste a partir desse ponto, ou mesmo mais do que uma haste, e dela surgirão flores novas em regra iguais às anteriores. Por esta razão não devem ser rejeitadas as plantas depois de qualquer floração, pois sujeitando a planta a uma manutenção adequada ela irá florir de novo, uma e mais vezes, no prazo de um ano e por muitos anos.

Luz:
Estas orquídeas, que como se refere acima existem em florestas tropicais com luz apenas filtrada pela copas das árvores, sob temperaturas quentes e muita umidade ambiente, quando cultivadas dentro de casa apenas exigem que o sol não incida nas folhas diretamente, pois queimam-se facilmente. Desenvolver-se-ão bem no parapeito de uma janela virada a leste, do lado em que nasce o sol quando este ainda está fraco. Suporta também janelas ou locais virados a sul ou a oeste, mais uma vez desde que protegidas dos raios de sol direto.



Regas:
A rega é particularmente importante e crítica para a sobrevivência da Phalaenopsis. Como não têm orgãos preparados para a reserva de água a não ser as folhas, não podem ser sujeitas a períodos de seca, pois não resistem à falta de humidade. O procedimento correto é mergulhar o vaso com a planta totalmente em água não muito fria e tirá-la ao fim de uma meia hora, deixando escorrer o excesso antes de colocar o vaso no local definitivo. Só se deverá voltar a regar quando a superfície do substrato estiver quase, mas não totalmente, seca. Em locais com verões muito quentes e com baixo grau de humidade, será provavelmente necessário regar dia sim, dia não. Já no inverno e em locais mais frios, bastará fazê-lo de dez em dez dias. Regue apenas de manhã, para permitir que quando chega a noite as folhas já estão secas, o que evitará manchas negras e podridão das raízes. E nunca, por nunca, deixe acumular água no pratinho por baixo do vaso!

Humidade:
Como já foi referido a humidade é muito importante para a Phalaenopsis, sendo recomendado um grau de humidade ambiente entre os 50 e os 80%. Em climas húmidos ou em estufas controladas, é absolutamente essencial que o ar seja renovado, o que pode ser feito com uma pequena ventoinha num nível fraco e girando levemente. Dentro de casa é aconselhável colocar pedrinhas por baixo dos vasos, para que algum excesso de água não entre em contato com o substrato e por sua vez com as raízes, apodrecendo-as.


fonte: http://bolotasguardadas.blogspot.com.br/2015/01/orquidea-phalaenopsis.html